quinta — 5/10/2017
Paradise

Drama – RU/DE, 2016 – M/14 – 130 min. V.O. Russo e Alemão - legendado em Português

Realização: Andrei Konchalovski · Argumento: Andrey Konchalovskiy, Elena Kiseleva · Fotografia: Aleksandr Simonov · Com: Peter Kurth, Yuliya Vysotskaya, Viktor Sukhorukov

e5de60d5-1e71-4855-9fec-22434172c898.jpg

Sinopse:

Durante a Segunda Grande Guerra cruzam-se uma aristocrata russa emigrada em França que colabora com a Resistência, um francês que trabalha com os nazis e um oficial alemão de alta patente das SS. Vencedor do Leão de Prata no Festival de Veneza, este drama do veterano Andrei Konchalovsky ("O Rolo Compressor e o Violino") foi o candidato russo aos Óscares relativos a 2016. (PÚBLICO)

 

2016 Festival de Veneza: Leão de Prata Melhor Realizador

quinta — 12/10/2017
Solaris

Ficção Científica – URSS, 1972 – M/12 – 167 min. V.O. em Russo – Legendado em Português

Realização: Andrei Tarkovsky · Argumento: Andrei Tarkovsky, Fridrikh Gorenshteyn (romance de Stanislaw Lem) · Fotografia: Vadim Yusov · Com: Anatoli Solonitsine, Donatas Banionis, Natalya Bondartchuk, Yuri Yarve

bb638095-5c5b-4973-b8ef-90179b67153f.jpg

Sinopse:

"Solaris" é um filme de ficção científica do cineasta soviético Andrei Tarkovski. Adaptado de um romance do polaco Stanislaw Lem, o filme apresenta, através da odisseia de um psicólogo num planeta, uma série de encontros dos seres humanos com os seus próprios receios e fantasias. Kris Kelvin é um psicólogo que é enviado para uma estação espacial que se encontra na órbita do planeta Solaris. A bordo da estação só restam três elementos dos 85 que integravam a tripulação. Morreram em circunstâncias misteriosas e Kelvin tem de avaliar se a estação deve ser evacuada ou se o planeta, que provoca fenómenos psíquicos estranhos, deve ser destruído. "Solaris" conquistou o prémio especial do júri no Festival de Cannes em 1972. (PÚBLICO)

 

Festival de Cannes 1972 – Grande Prémio do Júri, Prémio FIPRESCI

domingo — 15/10/2017
Festa dos anos de Álvaro de Campos 2017

Clube de Tavira - 18h00

Documentário, PT, 2014, 66 min. – M/12 – V.O em Português, Inglês e Francês – Legendado em Português

Realização: Edgar Pêra · Argumento: Edgar Pêra (textos de Fernando Pessoa) · Fotografia: Vadim Yusov · Com: Amarante Abramovici, Marina Albuquerque, Maya Booth

cc09c2fc-f48a-4e54-847c-2d84e8e105f8.jpg

Sinopse:

Espécie de visita guiada de pendor onírico pela capital portuguesa, o filme mostra um olhar diferente sobre Lisboa, onde os protagonistas são as vozes dos múltiplos heterónimos de Fernando Pessoa. O título é roubado a um desses heterónimos — Álvaro de Campos, autor do poema "Lisbon Revisited” — e falado nas três línguas em que Pessoa se expressava por escrito: português, inglês e francês. As vozes que narram este regresso a Lisboa pertencem a Nuno Melo, Cláudia Clemente, Marina Albuquerque, Keith Esher Davis, Maya Booth, Amarante Abramovici, Miguel Borges e Jonathan Wightman.

quinta — 19/10/2017

Ciclo Surrealismo

Comédia Dramática – NO/DE/SE/FR, 2014, 101 min. – M/12 – V.O. em Sueco – Legendado em Português

Realização e Argumento: Roy Andersson · Fotografia: István Borbás, Gergely Pálos · Com: Holger Andersson, Nils Westblom, Viktor Gyllenberg

0e364458-7618-4b4c-afe1-49ce407470f7.jpg

Sinopse:

Jonathan e Sam são dois vendedores ambulantes, a viver numa casa abandonada, que reflectem sobre a vida, a morte e a inevitabilidade do sofrimento. O filme decorre em vários "sketches" que, segundo o realizador, Roy Andersson, "consistem numa série de histórias quotidianas e fora do normal que retratam a nossa existência em toda a sua grandeza e pequenez, beleza e tragédia, exagero e tristeza – com uma visão panorâmica, como se fossem contadas por um pássaro a reflectir sobre a condição humana”.

Uma comédia negra sobre o peso da existência, que completa a "Trilogia dos Vivos", iniciada em 2000 com o filme Canções do Segundo Andar e continuada em 2007 com Tu Que Vives. Estreado na 71.ª edição do Festival de Cinema de Veneza, "Um Pombo Pousou num Ramo a Reflectir na Existência" foi galardoado com o Leão de Ouro. (PÚBLICO)

quinta — 26/10/2017

Documentário – FR/DE/NL - 2015 – M/ 12 – 87 min. V.O em Francês – Legendado em Português

Realização e Argumento: Aleksandr Sokurov · Fotografia: Bruno Delbonnel · Com: Louis-Do de Lencquesaing, Benjamin Utzerath, Vincent Nemeth

c60f9039-96fa-48a0-9ea1-d048679a6eab.jpg

Sinopse:

1940. As tropas Nazis tomam conta da cidade de Paris (França). Jacques Jaujard (Louis-Do De Lencquesaing), director do Museu do Louvre, e o Comandante Franz Wolff-Metternich (Benjamin Utzerath), chefe da comissão alemã para a protecção das obras de arte em França, vêem-se obrigados a colocar as suas diferenças de parte e aliam-se para preservar os tesouros do museu. Assim, ao mesmo tempo que os exércitos arrasam a cidade, eles fazem o que podem para proteger algumas das mais importantes criações da Humanidade. Com realização do aclamado realizador Aleksandr Sokurov (“A Arca Russa”, “Pai e Filho”, “Alexandra”, “Fausto”), um filme sobre um período negro da História europeia, onde se reflecte sobre a arte, o poder e a cultura e a importância dos museus na preservação da identidade humana. (PÚBLICO)

Festival de Veneza – Selecção Oficial, Em Competição; Prémio FEDORA; Prémio Fondazione Mimmo Rotella

..........................

Paris 1940, ville occupée. Que deviendrait Paris sans son Louvre ? 
Deux hommes que tout semble opposer – Jacques Jaujard, directeur du Louvre, et le Comte Franz Wolff-Metternich, nommé à la tête de la commission allemande pour la protection des œuvres d’art en France – s’allient pour préserver les trésors du Musée. Au fil du récit de cette histoire méconnue et d’une méditation humaniste sur l’art, le pouvoir et la civilisation, Alexandre Sokurov nous livre son portrait du Louvre.

Il s’agit d’un objet hybride mêlant fiction, images d’archives, réflexions de l’artiste sur l’œuvre qu’il est en train de créer ainsi que sur le sujet de son film, à savoir le Louvre à travers l’histoire, permettant ainsi au cinéaste d’élargir sa réflexion sur des thématiques universelles.

Les différents procédés et techniques utilisés par le cinéaste, l’utilisation judicieuse des drones notamment, donnent une réelle fraicheur à cet exercice de style très réussi.

  • logo_mc_drcalg_h_bw.png
  • logo_tavira_bw.png
  • rui_horta_2.png
  • tipografia_tavirense.png